28 de dezembro de 2012

Precisa-se de pastores



Ao percorrer inúmeros corredores do centro das grandes capitais, pode-se perceber a presença de incontáveis cartazes com os dizeres: PRECISA-SE de vendedores, balconistas, embaladores, cartazistas, etc. Realmente, nota-se a escassez de bons profissionais a disposição para o mercado de trabalho. Falta mão de obra qualificada!

No ano de 2011, a CNI (Confederação Nacional das Indústrias) divulgou uma pesquisa, informando que a falta de mão de obra qualificada afeta 69% das empresas brasileiras, e que este problema dificulta o aumento da produtividade e o melhoramento da qualidade do produto .

No setor da construção civil, por exemplo, uma pesquisa da FGV (Fundação Getúlio Vargas), também de 2011, mostrou que somente 17,8% dos trabalhadores ocupados na construção civil frequentaram curso de educação profissional .

Infelizmente, o mesmo quadro pode ser observado no campo ministerial, com uma observação: a falta aqui, não é de mão de obra qualificada, mas, vocacionada. A argumentação de Cristo registrada no Evangelho escrito por Lucas continua atualíssima: “Grande é, em verdade, a seara, mas os obreiros são poucos ”.

Lamentavelmente, ao desenvolver um ministério itinerante, tenho presenciado a escassez de pastores verdadeiramente e espiritualmente vocacionados. Por inúmeras vezes, fiquei boquiaberto diante de homens que se intitulam pastores. Confesso que estou cansado de esbarrar em homens que deveriam “dar a mão a palmatória” e procurarem outra coisa para fazerem.

Não tenho medo de verberar, e por conhecimento de causa, afirmo que alguns abraçaram o ministério somente depois, de se frustrarem profissionalmente. São pretensiosos “profissionais” fracassados, que veem no ministerial pastoral, uma excelente oportunidade de ganharem dinheiro e refazerem sua vida.

Em 2010, ministrei a Palavra, em uma denominação que me deixou de “queixo caído”, pois, após presenciar várias aberrações, ainda tive o desprazer de ouvir do “pastor” presidente, a história fatídica do inicio da mesma. Segundo ele, após, uma tentativa frustrada de conduzir um açougue, ele resolveu apostar numa loja de roupas, e novamente sua aposta resultou num insucesso, por isso, o dito cujo, resolveu vender os balcões e prateleiras e montar uma igreja no mesmo local.

Diante de tanta carência, preciso exclamar: - PRECISA-SE DE PASTORES!

Precisa-se de pastores! Homens que possuem a imagem de Cristo refletida em suas vidas; e não apenas de líderes com imagens de executivos bem sucedidos, administradores de sucesso ou empresários destacados.

Precisa-se de pastores! Homens com “tempo e compaixão para ouvir o clamor de almas cansadas, aflitas, confusas em busca de orientação, maturidade, transformação”; como assegurou o reverendo Ricardo Barbosa de Souza .

Precisa-se de pastores! Homens que possam encontrar soluções para nossas crises, principalmente na Palavra de Deus e nos escritos da história da Igreja, e não de líderes que fiquem apoiados em citações de psicoterapeutas modernos e livros de autoajuda.

Precisa-se de pastores! Homens que se prontifiquem a ajudar as ovelhas com oração, orientação espiritual e ministração da Palavra, e não de homens que apenas fazem usos de conselhos de psicólogos místicos e esotéricos.

Precisa-se de pastores! Homens que lutam por uma integridade vocacional, que resistem aos modelos e tentações do “mercado gospel” atual, e que possuem características essenciais da verdadeira vocação pastoral.

Precisa-se de pastores! Homens cuja vocação é orientada pela Palavra de Deus. Sacerdotes que usam a Bíblia como lâmpada para os pés e luz para o caminho .

Precisa-se de pastores! Homens que não transformem a vocação em carreira profissional; que pelejem por uma fé sincera, relevante e verdadeira.

Precisa-se de pastores! Homens que não façam uso da “máscara” da hipocrisia, mas, que expressem uma humanidade verdadeira e uma espiritualidade sincera.

Precisa-se de pastores! Homens cujo intuito maior é o Reino de Deus, o processo histórico da redenção e a glória do nome de Cristo, e não os seus projetos de vida particulares.

Precisa-se de pastores! Homens que verdadeiramente sejam rendidos a Deus e não subjugados por sistemas inescrupulosos.

Precisa-se de pastores! Homens como Abel, que possam oferecer o melhor para Deus, um sacrifício aceitável; e não homens amantes de si mesmos, que buscam o melhor para si.

Precisa-se de pastores! Homens como Enoque, que estejam dispostos a andarem literalmente com Deus. E que andar fala de conhecer, ter intimidade e relacionamento e não apenas ostentar um anel de bacharel ou um título em divindade.

Precisa-se de pastores! Homens como José, que possuem uma visão administrativa de um todo, que saibam poupar com temor na época das vacas gordas, para administrarem com segurança e a favor do Reino, no período das vacas magras.

Precisa-se de pastores! Homens como Moises, que saibam supervalorizar o essencial e não negociar aquilo que é inegociável, pois, ao contrário do que diz o dito popular, nem tudo têm o seu preço!

Precisa-se de pastores! Homens como Samuel, que após envelhecerem e dedicarem toda uma vida ao ministério possa chegar tranquilamente diante de todos e com paz de consciência perguntar: “A quem defraudei? A quem tenho oprimido e de cuja mão tenho tomado presente e com ele encobri os meus olhos?” .

Precisa-se de pastores! Homens como o profeta Micaías, que são conhecidos por pregarem a verdade; e ao contrário dos “animadores de auditório” transmitem não o que o povo e a liderança querem ouvir, mas, aquilo que Deus quer transmitir .

Precisa-se de pastores! Homens como Daniel, que sejam firmes e constantes, e que proponham sempre em seus corações não se contaminar com as coisas deste mundo.

Precisa-se de pastores! Homens como João Batista, que saibam que além de profetas, são críticos sociais, portanto, mesmo que seja necessário perder a cabeça, nunca se pode abrir mão dos absolutos de Deus.

Precisa-se de pastores! Homens como Paulo, com consciência cristã, que sabem que não podem ser pesados para os irmãos. Homens que aprendam a estar contentes com o que têm.

Precisa-se de pastores! Homens com vidas irrepreensíveis, maridos fiéis que abominam a prostituição e fogem apressadamente do adultério.

Precisa-se de pastores! Homens vigilantes, sóbrios, honestos, hospitaleiros, aptos para ensinar; não espancadores; não cobiçosos de torpe ganância.

Precisa-se de pastores! Homens moderados, não contenciosos, não avarentos; que governem bem a sua própria casa, e possuem os filhos em sujeição, com toda a modéstia.

Precisa-se de pastores! Homens que tenha bom testemunho dos que estão de fora, para que não caia em afronta e no laço do diabo.

Precisa-se de pastores! Homens como Tito, cuja missão é colocar em ordem o que está em desordem, e tapar a boca daqueles que transtornam casas inteiras, ensinando o que não convém, por torpe ganância .

Precisa-se de pastores! Homens que estejam mais dispostos a visitarem as ovelhas, do que fazerem excursões “religiosas”. Homens que se preocupem mais com as viúvas, do que em trocarem de carro todo ano.

Precisa-se de pastores! Homens como Jesus, que estejam dispostos a darem a vida pelo rebanho em vez de explorarem o mesmo.

Precisa-se de pastores!


6 comentários:

Gabriel Camacho disse...

Li todo o texto, e após ler as dos respectivos autores bíblicos citados como: Paulo, Micaías e Enoque (dentre outros), chego a conclusão de que de fato tudo realmente está na essência do caráter do homem que Deus escolhe e capacita a servi-Lo. Se não passar pelo crivo do caráter o que teremos é uma diminuição (como já vemos) dos verdadeiros "homens de Deus " que evidenciam tal nome à conduta irrepreensível diante do Senhor e dos homens.
Mesmo não sendo muitos os pastores de verdadeiro caráter cristão... me alegro em saber que existem pastores que pensam como o senhor, Pr. Sylas.

Um forte abraço. A paz do Senhor.
Ir. Gabriel Camacho

sylasneves disse...

Olá Gabriel,

É sempre bom ler os seus comentários; fico feliz em recebe-los a cada postagem.

Você usou a palavra chave: CARÁTER, pois, infelizmente, muitos "pastores" da atualidade, têm carisma, mas, não possuem Caráter.

Um grande e forte abraço!

Feliz 2013.

wagner disse...

É o D-us deles são seus próprios ventres então Haja $$$$$$$ para esta matilha Assembleiana e etc mas o remanescente louvado seja O D-us de Abraão, Isaque e Jacov( Tiago) temos o Sylas Neves que levanta a bandeira do Evangelho . Toda Rabah meu Pastor.

Danielle Oliveira disse...

Vamos para o dicionário: SEARA: s.f. Campo semeado. – CEIFEIRO: s.m. Aquele que faz a ceifa, segador.
Jesus, ao perceber a quantidade de pessoas que viviam de modo errado em seu tempo, utilizou uma metáfora para expressar a falta de pessoas dispostas a trabalhar para Deus.
Trabalhar para Deus, é mais do que ir à igreja aos domingos. Trabalhar para Deus é mais do que só dar esmola a um mendigo. Trabalhar para Deus é mais do que falar palavras bonitas a um amigo, ou a um irmão.
Eu vejo nesta passagem bíblica que Jesus teve compaixão das pessoas, pois via perdição nelas isso é um pouco complexo quando percebemos que até dentro da igreja há pessoas perdidas, é por isso que os ceifeiros são poucos.
Mas como resgatar os perdidos dentro de nossa própria igreja? Através de humanos como nós não há como, pois este é um trabalho que depende diretamente do Espírito Santo. Ele incomoda as pessoas e isso é bom, quando as pessoas aprendem a ouvi-lo. Porque realmente nós precisamos mais de Deus e ás vezes chegamos a dizer que Ele não precisa de nós. Sim, nós precisamos de Deus para pedir um carro, uma casa, um trabalho bom, um estudo, uma conquista, um namorado (a), um sonho, porém Deus não precisa de nós para pedir isso não! Ele precisa de nós para a Seara! Mas para a seara não dá! Porque somos humanos e não conseguimos sermos perfeitos, trabalhamos demais, estudamos demais, dormimos demais, esquecemos demais.
Mas, eu não sou ninguém para dizer isso! Quem sou eu?!!! Não sou nada. Porque eu sei que muitos que “supostamente” “perderão seu tempo” lendo isto, poderão pensar: “Quem é você para dizer isso?” Para dizer isso eu não sou nada mesmo não. Mas é que fica algo dentro de mim, me incomodando, me cutucando, me dizendo para eu não me acomodar.
Devemos gostar de trabalhar para Deus, sentir compaixão pelas pessoas. Trabalhar na seara não é recolher a oferta na hora do culto, não é cantar com os jovens; é se preparar para ir ao campo e buscar os perdidos, e falar do grande AMOR de CRISTO. Às vezes parece que a igreja perdeu o seu foco, estamos preocupados em ir com uma roupa boa para igreja, as pessoas, os eventos, a música que irá cantar, mas e os campos? Os campos é um trabalho que além de seguimento do evangelho de Cristo, é um trabalho social. Eu vejo crianças da rua da minha casa vendendo drogas e nós sentamos no banco da igreja achando que estamos fazendo muito. DEUS quer mais de nós e isso me incomoda. Eu fiquei três anos e meio da minha vida afastada de Deus, e só tive frustrações, e peço a Deus para me fortalecer, pois ser cristão não é fácil.
Percebo que muitos ateus não consideram a inexistência de Deus por causa de uma mera INEXISTÊNCIA, percebo que eles consideram a falta de Deus por causa de muitas atitudes cristãs. Nós iremos resolver os problemas do mundo, NÃO, mas Deus nos deu um IDE, Deus disse que a seara é grande, Deus precisa de nós sim!!!!
Às vezes eu penso e peço a Deus o seu cuidado, porque não quero honras, não quero glórias, isso pertence a Ele, mas eu quero que ELE olhe para mim, não para me dar carro ou casa, mas para me dar o seu amor, porque eu sou carente do amor de Deus.
Eu sempre fui muito de escrever, como agora, e guardei alguns escritos de até cinco anos atrás, ou seja, do período que estava distante de Deus, e eu reli estes arquivos e em 90% deles eu escrevia: JESUS PRECISO DE TI, JESUS TE AMO, DÀ-ME FORÇAS, etc. Então eu parei e pensei: Deus, o senhor nunca me abandonou!
E espero que todo o trabalho, todo o esforço que ofereço a Deus, não seja em vão.

Noemi disse...

Reciban muchisimas bendiciones desde mi blog www.creeenjesusyserassalvo.blogspot.com
Desde El Salvador Centroamerica

Ed Silva disse...

Nobre Pastor Silas,

Graças a Deus porque ainda a "vozes que clamam no deserto". sou de Aracruz e estive na AD do Bairro Limao onde pude sentar à mesa e saborear uma "feijoada", dando glória a Deus. Ainda há esperança! Ainda há pregoeiros! Ainda há um remanescente!

Louvo a Deus, Pr. Silas, por sua vida, por sua sinceridade e compromisso com a pregação do Evangelho genuíno.

Conte conosco, estamos juntos!

Um forte abraço,

Edmilson Pinto
AD Aracruz-ES