20 de outubro de 2012

Crédito ou débito? Afinal o que tenho diante de Deus?


Sei que este texto poderá me trazer certos incômodos, principalmente porque de uns anos para cá, o conturbado mundo “gospel”, ganhou uma nova ala: “os fã-clubes dos artistas gospel”. Hoje, infelizmente, quem se atreve a dar a mão à palmatória, analisando tudo sob a ótica da Sagrada Escritura é taxado por essa ala de: intransigente, importuno e acima de tudo invejoso.

Tristemente, os que amam a área da apologética e se prontificam na elaboração de apologias sobre músicas, livros, preleções, etc. são maus compreendidos, censurados e até ridicularizados, sobretudo nas redes sociais.

                Confesso que já fui escarnecido, zombado e ridicularizado em virtude de conjecturas e convicções que elaborei no decorrer do meu ministério. Entretanto, de uns anos para cá, corroborando com um dos poucos pastores “famosos” que ainda gosto de ouvir, afirmo que sinto a necessidade de “bater estacas”, “descer do muro” e assumir posições concernentes a certos assuntos e “ensinamentos” do meio cristão.

                Hoje, um pouco mais maduro, e preparado para lidar com as criticas e o apedrejamento de fanáticos, quero analisar dentro da perspectiva bíblica, se o homem, líder ou não têm crédito ou débito diante de Deus.

                No final da década de 90, “estourou” no Brasil, um jovem pregador, carismático, de gentil aspecto e um exímio contador de estórias, como ele próprio já se rotulou várias vezes. Rapidamente, este jovem ganhou espaço, admiradores, fãs e imitadores, e, creio que passou a ter uma das agendas mais disputadas do meio “pentecostal”.

Nesta época, estava saindo da adolescência e apenas engatinhando no ministério, mas, pude perceber o alvoroço que este pregador causou no meio da mocidade. Muitos começaram a copiar suas mensagens, seus jargões e até mesmo seu modo de vestir; e espantosamente, uma “nova febre nacional”, agora no mundo gospel, se instaurou no Brasil.

No inicio, tenho que admitir, também fui “tentado” a ceder diante das ministrações deste jovem. E a exemplo de muitos, comecei a assistir todas as suas mensagens disponíveis. Entretanto, sorrateiramente, o encantamento foi dando lugar à desconfiança, e como “cresci”, deixando de lado as coisas de menino, perdi completamente o vislumbre pelo mesmo.

É inegável que suas ministrações chamavam atenção! Seus jargões “enlouqueciam” inúmeros ouvintes, e suas “orações” pedindo a presença de “anjos” nas reuniões, despertava frisson no coração de muitos, porém, quando ele dizia: “Senhor, se ainda tenho crédito contigo!”...

Declaro, que por muitas vezes, procurei enxergar com bons olhos tal declaração, aliás, certa vez, ao comentar com um amigo, o incômodo que sentia diante dessa colocação; ouvi do mesmo a seguinte ponderação:

- Ele ora assim, porque paga o preço, têm uma vida irrepreensível e, sendo assim, possui crédito com Deus!

                Não, mil vezes não, ao olharmos para as páginas sagradas, veremos que os homens não possuem créditos para com Deus! Possuímos débitos, que a exemplo das financeiras se multiplicam a cada manhã.

                Revelo, que toda vez que ouvia: “se ainda tenho crédito contigo!”, era remetido a oração do fariseu que arrogantemente dizia: “Ó Deus, graças te dou, porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano.  Jejuo duas vezes na semana e dou os dízimos de tudo quanto possuo”. (Lucas 18: 11,12)

                Todos aqueles que acreditam ter crédito com Deus, assemelham-se aos fariseus que confiavam em si mesmos, crendo que eram justos e desprezavam os outros. (Lucas 18: 9)

Todos aqueles que acreditam ter crédito com Deus, se esqueceram de que para sermos justificados diante dEle, precisamos reconhecer o nosso estado lastimoso e a exemplo do publicano proferir: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! (Lucas 18: 13)

Todos aqueles que acreditam ter crédito com Deus, fazem “vista grossa” diante da oração de confissão ensinada por Cristo, dizendo: “Perdoa-nos as nossas iniquidades...”. (Mateus 6: 12)

Todos aqueles que acreditam ter crédito com Deus, se julgam maior do que Paulo, pois, este, mesmo possuindo tantas credenciais, cidadanias e habilidades, jamais ousou dizer: “se ainda tenho crédito contigo!”, pelo contrário, ao escrever sua magistral carta aos Romanos, ele declarou: Miserável homem que eu sou! (Romanos 7: 24)

E por falar em Paulo, todos aqueles que acreditam ter crédito com Deus, devem desconhecer sua carta a Timóteo, pois, nela, o maior de todos os apóstolos registrou: “Cristo Jesus veio ao mundo, para salvar os pecadores, dos quais eu sou o principal”. (1 Timóteo 1: 15)

Todos aqueles que acreditam ter crédito com Deus, me fazem lembrar, do inicio do ministério de Isaias, que saiu dizendo: Ai desses! Ai daquele! Mas, de repente, quando teve uma visão do Senhor, reconheceu que também era pecador, entrementes, admitiu que não possuía créditos e diagnosticou: “ai de mim, que vou perecendo! Porque eu sou um homem de lábios impuros e habito no meio de um povo de impuros lábios”. (Isaias 6: 5)

Todos aqueles que acreditam ter crédito com Deus, ignoram uma das maiores verdades teológicas: Somos justificados pela graça, pela redenção que há em Cristo Jesus, e não por créditos. (Romanos 3: 24)

Todos aqueles que acreditam ter crédito com Deus, interpretam de maneira equivocada a ordem dada por Paulo a Timóteo de guardar o bom depósito, pois, o mesmo nada tem a ver com crédito para com Deus. (2 Timóteo 1: 14)

Continuando, todos aqueles que acreditam ter crédito com Deus, são incapazes de admitir que um dos princípios básicos e indiscutível do cristianismo, ainda está valendo: “onde o pecado abundou, superabundou a graça”. (Romanos 5: 20)

Finalmente, afirmo que, todos aqueles que acreditam ter crédito com Deus, podem a qualquer momento, a exemplo de Belsazar, descobrirem que “foram pesados na balança e achados em falta, em débito”. (Daniel 5: 27 – Adaptação do autor)

Sinceramente, quando olho para minha vida, minha família e para o ministério outorgado a mim por Deus, reconheço que não sou merecedor, não tenho crédito, tenho débitos, aliás, tenho uma dívida que só não é impagável, porque, o sacrifício vicário de Cristo, rasgou a cédula que eram contra mim, cravando-a na cruz. (Colossenses 2: 14)

Para encerrar, atesto com toda convicção que o verdadeiro chamado, jamais se gabará em ter crédito diante de Deus, pelo contrário, a exemplo de Gideão, Jeremias, Moisés e Paulo, o mesmo reconhecerá: impotência, incapacidade e inexperiência.

Não tenho crédito! Tenho débito! Mas, alegro-me em saber que as misericórdias do Senhor, se renovam a cada manhã sobre mim, e são elas as causa de eu não ser consumido. (Lamentações 3:22 e 23)

                Que a Graça do Senhor superabunde em nossas vidas!
Por Sylas de Souza Neves – 20/10/2012

9 comentários:

José Junior disse...

Meu caro amigo Sylas,

A mais maravilhosa das mensagens da graça é:
Nem débito temos!
TUDO foi pago!
O escrito de DÍVIDA (Débitos) que era contra nós foi cravado na cruz.

Nem créditos (porque Deus não nos deve nada), nem débitos (porque Deus JÁ PAGOU em Cristo todas as dívidas). O que resta? GRAÇA!!!

Aleluia! Essa é a boa nova!

Em Deus, não somos credores nem devedores! Somos filhos!

Grande abraço!

José Barbosa Junior

Unknown disse...

Ô crente! o pregador citado já perdeu o foco, perdeu o acesso e a vários anos e não consegue " sacar " conteúdo divino, logo sua saída é ficar apenas no superficial simulando que é de alto escalão espiritual mas não está conseguindo e mover nem uma partícula na atmosfera espiritual.O Senhor trata os retos com intimidade e dá graça aos humildes Sl 25.14

Gabriel Camacho disse...

Pr. Sylas,

Sou grato a Deus por perceber que em meio a tanto ativismo religioso ,vejo homens como o senhor expondo o que de fato está acontecendo ao evangelho da cruz. Acredito que a falta de temor ao Senhor tem levado estes "líderes" a se perder em meio as próprias palavras.
Permita-me compartilhar com você Pr. Sylas, e com os demais leitores do seu Blog uma pregação do Caio Fábio, realizada na Década de 90.

Segue link:
http://www.youtube.com/watch?v=jzfVnMw2WtU

Que o Senhor continue te abençoando.

A paz do Senhor.

Ir. Gabriel Camacho

sylasneves disse...

Grande Júnior,

Senti-me lisonjeado em ver um comentário seu em meu blog!

Você sabe que foi graça a seus textos e nossos duelos, que comecei a escrever tb.

Quanto ao seu comentário, concordo, apenas fazendo uma ressalva:

Concernente a salvação, realmente não temos débitos nem créditos. Todavia, quanto olho para minhas constantes falhas e para fidelidade de Deus para comigo, prefiro ver-me em débitos para com Ele, por isso, sempre oro: perdoe as minhas dívidas!

Grande abraço, meu amigo!

sylasneves disse...

Olá meu nobre amigo, Gabriel,

Graça e Paz sobre sua vida!

Sou grato por suas participações e comentários!

Tb agradeço pelo link do Caio.

Que Deus continue te abençoando!

wagner disse...

Shalom Amado Pastor continue levantando a bandeira do evangelho genuíno,de Yeshua temos que fazer constantemente está avaliaçao o povao de cristo hj querem é passar pelo vale de sal e ouvir Marcos tristiano e dizer amém sem ver , Yeshua disse certa feita '' como esta escrito?'' Crentaiada que acredita na cpad ... e etc longe das escrituras ...

valdir de souza disse...

O Senhor JESUS CRISTO pagou todos os nossos pecados no dia do nosso batismo, mas a parti dai e debito pois ainda habitamos nesse tabernáculo carnal,por isso a oração do PAI NOSSO diz: perdoa as nossas dividas assim como perdoamos nossos devedores, a salvação e pela graça de DEUS, Mas aquele que através do pecado tornar a crucificar a CRISTO pagara ate o ultimo centavo, por isso dizemos que fomos crucificados com o SENHOR,quando um homem tiver credito com DEUS ele o SENHOR o levara para ele, no entanto a palavra credito também pode ter o significado de confiabilidade que uma pessoa tem por outra, em um determinado assunto no caso(DEUS que confiou ao homem a pregação das boas novas).

verônica disse...

Gostaria muito de poder assistir uma pregação sua pastor Silas Neves um dia quando vc vier pregar em fortaleza ceará nos avise a diferença de suas mensagens é que vc fala o que Deus quer e isso estar faltando nos pregadores Deus lhe abencoe mais e mais

Bruno oliveira disse...

Eu estou estudando sobre o assunto, e aproveitando o ensejo deixo a minha indagação sobre o assunto, o que mais tem são pessoas que pensam merecer, ter ou receber algo da parte de Deus uma Meritocracia tem sido posta por meio de mensagens da mesma e por fimais, Deus pagou o alto preço a dívida o castigo foi carregado por ELE, e só de pensar nisso me constrange a reconhecer o meu estado real de pecador que não me coloca na posição de merecer nada.