11 de dezembro de 2011

Quem sou eu? Tributo aos meus 30 anos



Hoje, 11 de dezembro de 2011 é uma data importantíssima na vida! É o dia em que completo 30 anos de idade, 30 anos experimentando o sobrenatural de Deus.

Inevitavelmente, ao olhar minha face no espelho, vejo marcas surgirem e cabelos brancos emergirem como “joios em meio aos trigos”. Sei que estas marcas me acompanharão pelo resto dos meus dias e, que os cabelos brancos de agora para frente não hesitarão em ofuscarem os meus cabelos pretos!

Hoje, tenho que novamente dar a “mão a palmatória” e conforma-me com o veredicto de Cristo: “... não podes tornar um cabelo branco ou preto (Mateus 5:36)”. Realmente, o envelhecimento é inevitável!

Trinta anos de vida! Para quem foi desenganado pelos médicos, no momento do parto, é um número bem expressivo! Portanto, tenho muito a falar, entretanto, em alusão às minhas primeiras três décadas de existência, quero apenas tentar responder: Quem sou eu?

Quem sou eu?...

Eis uma das perguntas mais simples e mais inquietante para nós, meros seres mortais!

Particularmente, lembro-me do receio que sempre tive, no que tange a esta indagação, durante as inúmeras dinâmicas que participei à procura de um emprego; para falar a verdade, minhas mãos ficavam tremulas, o suor escorria pela minha face, o coração palpitava mais forte e a minha voz ganhava um teimoso ar de rouquidão quando se aproximava a minha vez de responder: Quem era eu?

Ainda hoje, prestes a completar três décadas de vida, não encontrei uma resposta definitiva para tal pergunta, e creio, sem variações de dúvidas, que ao fechar os meus olhos para esta vida, ainda não terei alcançado a resposta absoluta, e peremptoriamente verdadeira.

Por hora, cito a sábia colocação de um pregador que ao falar de sua existência, esbravejou: nasci condenado a viver uma só vez assim, darei a cada instante o valor de uma eternidade.

Enfim, tentando não me esquivar desta sindicância, e sabendo da superficialidade da minha resposta, hoje respondo:

Sou um brasileiro que não se orgulha mais em cantar o hino nacional; um protestante, que ojeriza o rotulo de gospel, por achar que essa qualificação é simplista e remonta a um “cristianismo” light e diet.

Sou um cristão, indignado com a postura e o caráter de grande parte dos “evangélicos”; sou um ministro que não abre mão de protestar contra as manobras existentes nos gabinetes pastorais.

Sou um eleitor que não acredita mais em promessas políticas, e desdenho aqueles que possuindo o titulo de pastor, de maneira gananciosa, se embarcam na carreira política.

Sou um cidadão, que infelizmente desacreditou na credibilidade dos três poderes. Sou um civil que fica temeroso ao avistar uma viatura policial, não por estar em dívida com alguém ou com as leis vigentes, mas, por saber que aqueles que deveriam nos proteger, podem nos prejudicar, fazendo uso de um autoritarismo incontrolável.


Sou um escritor, que tento eternizar minhas idéias, pensamentos e inquietações, encontrando no ato de escrever, uma graciosa maneira de desabafar, soltar o grito e protestar.

Ainda como escritor, sou alguém que não acredito mais na idoneidade das grandes editoras, pois, sei que elas não estão em busca de novos talentos, e muito menos à procura de obras que venham contribuir para o crescimento intelectual e teológico. Tristemente, as editoras só visam o mercado e o lucro exacerbado, entrementes, além de julgarem o livro pela capa, enfatizam principalmente a popularidade e a fama do escritor.

Como mortal, sou alguém que nasci sem direito a escolhas, não pude escolher os meus pais, o dia do meu nascimento, a minha terra natal, o médico responsável pelo parto, o meu nome e sobrenome, etc. Mas, louvo a Deus, pois, Ele me presenteou com tudo isto, e mesmo sem merecer, hoje tenho um orgulho “santo” em proclamar:

Sou Sylas de Souza Neves, alguém que ao contrario de muitos, se orgulha muito pelo seu nome, principalmente, pois sou sabedor que este nome significa: “o escolhido de Deus”.

Graças a Deus, sou filho de Josias e Maria, um casal que além de me orgulhar, incessantemente me faz agradecer ao Todo Poderoso por ter sido gerado por eles.

Sou casado com a Diana, uma jovem bela, companheira, leal e dedicada, alguém que me dá orgulho em ser rotulado de seu marido.

Sou pai de Yuri Abner, verdadeira herança do Senhor, inteligente, meigo, carinhoso e cheio de energias.

Sou alguém que mesmo tendo limitações não me deixo ficar aprisionado a elas e, sei que posso ir além do que já fui e fazer mais do que já fiz.

Sou um jovem pregador, alguém que procura agradar primeiramente a Deus, tendo sempre temor e sabendo que de nada adianta ganhar o mundo e perder a sua alma.

Sou o que sou, mas, não descarto a hipótese de algum dia mudar o que penso ser!

Sylas de Souza Neves - 11/12/2011

2 comentários:

Nágila Souza disse...

Oi Pastor eu vim atrasada, mas quero te desejar um tudo de bom e Felicidades sempre, que Deus continue te abençoando, Feliz Aniversário!

José Junior disse...

Meu amigo,

Que Deus lhe conceda outros tantos anos em Sua presença! Sua amizade, por toda a história que existe, me é muito grata e especial!
Através dos "duelos" iniciais tive a honra de conhecer um homem que leva o evangelho a sério, buscando sua simplicidade e leveza.
Meu desejo é que sua vida continua apontando para o autor e consumador de nossa fé!
Grande abraço, Parabéns!

José Barbosa Junior